quinta-feira, 28 de abril de 2011

O Encontro

Ansiosos estamos para a Beatificação de nosso saudoso Papa João Paulo II no próximo domingo. Que alegria para a Igreja!! Essa grande celebração será transmitida ao vivo pela TV e não podemos perder a oportunidade de assistir a beatificação daquele que um dia será um grande Santo, uma pessoa que viveu em nossa época e nos nossos dias, que pudemos acompanhar seus passos e sua vida, não algo longe e passado, mas um presente bem vivo. Colocamos aqui algumas fotos de arquivo de alguns encontros do então Cardeal Joseph Ratzinger e o Papa João Paulo II, interessante observar o encontro de dois tempos que estarão agora unidos na beatificação do Papa Peregrino.





A beatificação do servo de Deus João Paulo II que o Papa Bento XVI presidirá no próximo 1º de maio será histórica porque nos últimos dez séculos nenhum pontífice tinha elevado aos altares a seu predecessor imediato.
E um autêntico servidor de Deus foi Karol Wojtyla, apaixonado testemunho de Cristo para a juventude até o último suspiro. Disto, muitíssimos, inclusive não-católicos e não-cristãos, puderam perceber durante sua vida exemplar
 A Beatificação do Papa peregrino serve “para apresentar ao mundo o modelo de santidade pessoal de João Paulo II”.

                            Venerável João Paulo II, rogai por nós!!

domingo, 24 de abril de 2011

Lumen Christi

É com muita alegria que cumprimentamos você, que celebra a Eucaristia nesta festa que marca o centro da vida e da história! É Páscoa! Temos certeza de que aquele que celebrou e participou, de coração aberto, do tempo da Quaresma, hoje está exultando de alegria pelos passos dados e, principalmente, pela experiência do Mistério Pascal que ilumina a nossa vida.
Os relatos evangélicos do túmulo vazio, do encontro com o Cristo Ressucitado no jardim, junto ao Lago, na Assembléia Reunida, na caminho de Emaús e tantas outras ocasiões, que fez o Apóstolo testemunhar que depois disso apareceu também a Ele quando de sua conversão, retratam a explosão pascal que marcou para sempre a história da humanidade. Também nós somos chamados a ser testemunhas desses fatos.
A liturgia que ora vivemos não é uma mera lembrança do passado, mas é a celebração de uma presença atual, da qual somos chamados a ser testemunhas! Cristo Ressuscitado está presente quando ouvimos a Palavra e nos são explicadas as Escrituras! Está presente quando partimos o Pão na Missa ou na solidariedade; quando nos é explicado o sentido dos fatos da vida e sentimos abrasar o coração. Ele vem e nos traz Paz! Quando no episódio da pesca, no lago, quer nos motivar para evangelizar, enviando-nos a proclamar esta notícia a todos os cantos!

A experiência pascal atualizada em nossa vida hoje deve nos conduzir a viver como discípulo missionário com mais intensidade e cumprir nossa missão.
Irmãos e Irmãs! Cristo ressuscitou! Busquemos  as coisas do alto, revistamo-nos dessa vida divina, e, concretizando a nossa presença junto aos que buscam a vida, sejamos, pela vida nova, um vigoroso anúncio do grande fato: Ele ressucitou verdadeiramente e está entre nós. Aleluia!

Feliz Páscoa a você e a todos os seus!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Fiel Pelicano


 
Povo meu, que te fiz Eu? Dize em que te contristei? Por que à morte me entregastes? Em que foi que te faltei?

Bela vinha Eu te plantara, tu plantaste a lança em mim. Águas doces Eu te dava. Fostes amargo até o fim!

Flagelei por ti o Egito, primogênitos matei. Tu, porém, me flagelastes, entregaste o próprio Rei!

Eu te abri o Mar Vermelho, tu me abriste o coração. A Pilatos me levaste, Eu levei-te pela mão.

Só na Cruz tu me exaltaste, quando em tudo te exaltei.  Que mais podia Eu ter feito? Em que foi que te faltei?

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Como morreu Jesus?

Há pelo menos dois livros sérios sobre a paixão e morte de Jesus, em português. O mais antigo, escrito há mais de trinta anos, é do medico e cirurgião francês Pierre Barbet que estudou o assunto durante 25 anos. O livro se chama “A Paixão de Cristo Segundo o Cirurgião” (Ed.Loyola, SP).

Outro livro recente, sério, científíco, é do médico legista americano Dr. Frederick Zugibe, um dos mais conceituados peritos criminais em todo o mundo e professor da Universidade de Columbia, dissecou a morte de Jesus com a objetividade científica da medicina.
Ele foi patologista-chefe do Instituto Médico Legal de Nova York durante 35 anos. As suas conclusões estão no livro “A crucificação de Jesus – as conclusões surpreendentes sobre a morte de Cristo na visão de um investigador criminal”, recém-lançado no Brasil (Editora Idéia e Ação, 455 págs.).

Dr. Frederick, de 76 anos, é católico convicto, e realizou suas pesquisas com amor, devoção e respeito a Jesus Cristo, durante meio século de sua vida estudou a verdadeira “causa mortis” de Jesus. Escreveu três livros e mais de dois mil artigos sobre o assunto, todos publicados em revistas especializadas, nos quais revela como foi a crucificação e quais as conseqüências físicas, do ponto de vista médico, dos flagelos sofridos por Cristo durante as 18 horas de sua paixão.

O legista afirma que a “causa mortis” de Jesus foi parada cardiorrespiratória decorrente de hemorragia e perda de fluidos corpóreos (choque hipovolêmico), isso combinado com choque traumático decorrente dos castigos físicos a ele infligidos.
Para seus estudos Dr. Zugibe utilizou uma cruz de madeira construída nas medidas que correspondem às informações históricas sobre a cruz de Jesus (2,34 metros por 2 metros), selecionou voluntários para serem suspensos, monitorou eletronicamente cada detalhe.
Os seus estudos sobre a morte de Jesus começam no Jardim das Oliveiras, quando Jesus passa por sua agonia mortal; em seguida condenação, açoitamento e crucificação. O médico analisou o suor de sangue de Jesus no Horto das Oliveiras; segundo o legista, com o fenômeno da hematidrose, raro na literatura médica, mas que pode ocorrer em indivíduos que estão sob forte stress mental, medo e sensação de pânico. As veias das glândulas sudoríparas se comprimem e depois se rompem, e o sangue mistura-se então ao suor que é expelido pelo corpo.

Jesus foi vítima de extrema angústia mental e isso drenou e debilitou a sua força física até a exaustão total. Para descrever com precisão os ferimentos causados pelo açoite, Dr. Zugibe pesquisou os tipos de chicotes que eram usados no flagelo dos condenados. Em geral, eles tinham três tiras e cada uma possuía na ponta pedaços de ossos de carneiro ou outros objetos pontiagudos. A conclusão é que Jesus Cristo recebeu 39 chibatadas (o previsto na Lei Mosaica), o que equivale a 117 golpes, já que o chicote tinha três pontas. As conseqüências médicas são hemorragias, acúmulo de sangue e líquidos nos pulmões e possível laceração no baço e no fígado. A vítima também sofre tremores e desmaios, reduzida a uma massa de carne destroçada, ansiando por água, diz o legista.
Ao final do açoite, uma coroa de espinhos foi cravada na cabeça de Jesus, causando sangramento no couro cabeludo, na face e na cabeça. Os espinhos atingiram ramos de nervos que provocam dores terríveis quando são irritados. É o caso do nervo trigêmeo, na parte frontal do crânio, e do grande ramo occipital, na parte de trás. As dores do trigêmeo são descritas como as mais difíceis de suportar e há casos nos quais nem a morfina consegue amenizá-las.

Em busca de precisão científica, Dr.Zugibe foi a museus de Londres, Roma e Jerusalém para se certificar da planta exata usada na confecção da coroa. Entrevistou botânicos e em Jerusalém conseguiu sementes de duas espécies de arbustos espinhosos. Ele as cultivou em sua casa. O pesquisador concluiu então que a planta usada para fazer a coroa de espinhos de Jesus foi o espinheiro- de-Cristo sírio, arbusto comum no Oriente Médio e que tem espinhos capazes de romper a pele do couro cabeludo.
Após o suplício dessa coroação, amarraram nos ombros de Jesus a parte horizontal de sua cruz (cerca de 22 quilos) e penduraram em seu pescoço o título, placa com o nome e o crime cometido pelo crucificado, em latim, INRJ – Jesus Nazareno Rei dos Judeus. Jesus caminhou com a cruz, segundo Dr. Zugibe, oito quilômetros. Segundo ele, Cristo não carregou a cruz inteira, a estaca vertical costumava ser mantida fora dos portões da cidade, no local onde ocorriam as crucificações.

Ao chegar ao local de sua morte, as mãos de Jesus foram pregadas à cruz com pregos de 12,5 centímetros de comprimento. Esses objetos perfuraram as palmas de suas mãos, pouco abaixo do polegar, região por onde passam os nervos medianos, que geram muita dor quando feridos. Preso à trave horizontal, Cristo foi suspenso e essa trave, encaixada na estaca vertical. Os pés de Jesus foram pregados na cruz, um ao lado do outro, e não sobrepostos mais uma vez, ao contrário do que a arte e as imagens representaram ao longo de séculos. Os pregos perfuraram os nervos plantares, causando dores lancinantes e contínuas.
Preso à cruz, Cristo passou a sofrer fortes impactos físicos. Para conhecê-los em detalhes, o médico legista reconstituiu a crucificação com voluntários assistidos por equipamentos médicos. Os voluntários tinham entre 25 e 35 anos e o monitoramento físico incluiu eletrocardiograma, medição da pulsação e da pressão sangüínea. Todos os voluntários observaram que era impossível encostar as costas na cruz. Eles sentiram fortes cãibras, adormecimento das panturrilhas e das coxas e arquearam o corpo numa tentativa de esticar as pernas.

Dr. Zugibe analisou três teorias principais sobre a causa da morte de Jesus: asfixia, ruptura do coração e choque traumático e hipovolêmico. Ele afirma que a teoria mais propagada é a da morte por asfixia, mas ela jamais foi testada cientificamente. O cirurgião francês Pierre Barbet defende que Jesus morreu por asfixia, Zugibe classifica essa tese de indefensável sob a perspectiva médica.

Quanto à hipótese de Cristo ter morrido de ruptura do coração ou ataque cardíaco, Zugibe alega ser muito difícil que isso ocorra a um indivíduo jovem e saudável, mesmo após exaustiva tortura: Arteriosclerose e infartos do miocárdio eram raros naquela parte do mundo. Só ocorriam em indivíduos idosos. Ele descarta a hipótese por falta de provas documentais. Para ele a causa da morte foi o choque causado pelos traumas e pelas hemorragias. A isso somaram-se as terríveis dores provenientes dos nervos medianos e plantares, o trauma na caixa torácica, hemorragias pulmonares decorrentes do açoitamento, as dores da nevralgia do trigêmeo e a perda de mais sangue depois que um dos soldados lhe perfurou o peito, abrindo o átrio direito do coração.

Dr. Zugibe diz que os seus estudos aumentaram a sua crença em Deus: Depois de realizar os meus experimentos, eu fui às escrituras. É espantosa a precisão das informações. Ao final dessa viagem ao calvário, Zugibe faz o que chama de sumário da reconstituição forense. E chega à definitiva “causa mortis” de Jesus, em sua científica opinião: Parada cardíaca e respiratória, em razão de choque traumático e hipovolêmico, resultante da crucificação.

Fonte: Blog Professor Felipe Aquino

domingo, 17 de abril de 2011

Hosana nas alturas!

Do Rei avança o estandarte,
fulge o mistério da Cruz,
onde por nós foi suspenso
o autor da vida, Jesus.
Do lado morto de Cristo,
ao golpe que lhe vibraram,
para lavar meu pecado
sangue e água jorraram.
Árvore esplêndida e bela,
de rubra púrpura ornada,
de os santos membros tocar
digna, só tu foste achada.
Ó Cruz feliz, dos teus braços
do mundo o preço pendeu;
balança foste do corpo
que ao duro inferno venceu.
Salve, ó altar, salve vítima,
eis que a vitória reluz:
a vida em ti fere a morte,
morte que à vida conduz.
Salve, ó cruz, doce esperança,
concede aos réus remissão;
dá-nos o fruto da graça,
que floresceu na Paixão
Louvor a vós, ó Trindade,
fonte de todo o perdão,
aos que na Cruz foram salvos,
dai a celeste mansão.

Com os anjos e as criaturas proclamemos nossa fé e aclamemos Jesus Cristo, vencedor da própria morte: Hosana nas alturas!!

Fonte: Oração das Horas.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Via Sacra: Jesus Morre na Cruz

Que tal uma série Via Sacra para essa última semana do tempo Quaresmal? Essa Via Sacra é linda e muito reflexiva. É um ótimo exercício para nossa alma, meditar a Paixão de Nosso Cristo. Vamos escolher algumas estações da Via Sacra...hoje vamos meditar sobre Jesus morrendo na Santa Cruz.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Pequeno lápis

”Muito frequentemente me sinto como um pequeno lápis nas Mãos de Deus. Ele escreve, Ele pensa, Ele faz os movimentos. Eu só tenho que ser o lápis.”

     Discurso de Madre Tereza de Calcutá em Roma, 7 de março de 1979

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Sumiço

Olá Pessoal,
O blog ficou meio parado estes últimos dias, devido a um retiro de recolhimento, por isso o contato ficou inviável com o meio externo..rs... Porém estamos de volta, firmes na fé e na esperança e com saudades é claro desse espaço que tanto gostamos. Como ainda temos que crescer em santidade! Não podemos parar de caminhar, avante!
A Páscoa do Senhor se aproxima, vamos aproveitar ainda a Quaresma e levar nosso coração para a reflexão de Deus e do seu amor.

domingo, 3 de abril de 2011

Senhor, eu não sou digno

Queremos nos conhecer. Por isso, precisamos usar bem as partes da missa que são reservadas à introspecção: o ato penitencial, por exemplo, com o "Senhor, tende piedade" e o "confesso".  Isso exige recolhimento, uma tranquilidade interior que nos permita examinar nossos pensamentos, palavras e atos.  Se queremos ficar recolhidos, ajuda chegar à Igreja bem antes da missa e começar nossa oração. O recolhimento interior possibilita nos concentrarmos na realidade da missa, não importa o que aconteça à nossa volta: bebês que choram,  música ruim ou homilias medíocres.
A fim de nos preparar  para a missa, devemos também tirar frequente proveito do sacramento da Reconciliação, cofessando nossos pecados depois de um profunto exame de consciência. Devemos nos confessar antes de receber a Eucaristia para que nosso sacríficio seja puro.  Embora a Igreja só exija que nos confessemos uma vez por ano, o irresistível ensinamento dos santos e papas é que nos confessemos "frequentemente". Que frequência é essa? Varia de acordo com as circunstâncias e os conselhos do padre confessor.  Entretanto, devemos seguir o bom exemplo dos santos, que, sabemos, confessavam-se ao menos uma vez por semana, e os mestres epirituais de mais confiança aconselham o mínimo de uma vez por mês.
Se somos sinceros diante de Deus, nos veremos, em nossos corações, nos prostrando humildemente, como fez João. Rezaremos com sinceridade perfeita a oração antes da comunhão: "Senhor, eu não sou digno de que entres...".

Fonte: Livro O Banquete do Cordeiro - a missa segundo um convertido- Scott Hahn. Edições Loyola.
Foto: Capela do Santíssimo da Igreja de Wadowice, que é um município no sul da Polónia, situada a 50 quilômetros de Cracóvia. Conta com 19.500 habitantes (2001). É mundialmente conhecida por ser a terra natal do Papa João Paulo II

sábado, 2 de abril de 2011

Agenda 2011

Pessoal, segue a Agenda de 2011 da Comunidade. É claro que passível de algumas alterações e outros eventos irão surgir, mas aí nós avisaremos, ok?
É hora de aproveitar, pois este ano realmente teremos encontros bastate profundos para nossa formação
Segue a agenda, anota aí:

Abril
09 a 10 - Aprofundamento sobre a Páscoa;
17 a 24 - Semana Santa (participação nas paróquias)

Maio
03 - Fundação da Comunidade - 10 anos. No Grupo de Oração;
04 a 12 - Novena de Nossa Senhora de Fátima;
13 - Festa de Nossa Senhor de Fátima;
*24 de maio o grupo de oração será na quarta-feira dia 25 - devido a Festa de Maria Auxiliadora;

Junho
26 - Dia de Recolhimento com a Obra dos Santos Anjos;
27 - Aprofundamento para servos da Comunidade - casa da comunidade;
Das 19:00 as 22:00 - Festa no Colégio João e Maria

Junlho:
09 e 10 -  Experiência de Oração;
* Festa do Preciosissimo Sangue

Agosto:
06 - Festa do SS.Salvador,
15 - Assunção de Nossa Senhora;

Setembro:
17 e 18 - Encontro com a Comunidade Beatitudes - França;
23 - Festa de Padre Pio - Missa e Procissão na sede da Comunidade;
29 - Festa dos Santos Anjos - Missa e Procissão na sede da Comunidade;

Outubro:
02 - Festa dos Santos Anjos da Guarda
12 - Festa de Nossa Senhora Aparecida;

Novembro:
19 e 20 - Retiro Espiritual de servos e confraternização;
* Novena de Natal

Dezembro:
08 - Festa da Imaculada Conceição (santo de guarda)
25 - Natal

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Testemunho: Letícia Fagundes

Hoje começamos um tópico de nosso blog sobre testemunhos de pessoas que vivem na fé, que buscam o Cristo de suas vidas, que lutam e que vencem o pecado a cada dia, que sofrem mas que lutam, que querem a santidade e a buscam de fato.

O vídeo abaixo é de Léticia Fagundes, uma jovem que serve no Grupo de Oração Aliança Eterna, com o dom da dança e da música, louvando e adorando a Deus em corpo e espírito, Letícia nos conta um pouco dessa experiência e diz aos jovens que sim é feliz estando do lado de Cristo e dizendo não ao mundo, vejamos:

video